• Mail pessoal:

    MSN: tcasaleiro@hotmail.com GERAL: tcasaleiro@gmail.com
  • Janela através das letras… (livro na cabeceira)

    Livros académicos de pouco interesse...
  • Janela dos Livros L’Idos

    Era bom que trocássemos umas ideias sobre o assunto - Mário de Carvalho

    O nome da Rosa - Umberto Eco

    Os filhos da meia noite - Salman Rushdie

    Manhã Submersa - Virgílio Ferreira

    Clara Pinto Correia - Os Mensageiros Secundários

    Jean François-Steiner - Treblinka

    José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis

    Muhammad Yunus - Criar um mundo sem pobreza

    Arundhati Roy - O Deus das pequenas coisas

    George Orwell - 1984

    Primo Levi - Se Isto É um Homem

    Miguel TORGA - Novos Contos da Montanha

  • Quantos já espreitaram através da janela

    • 13,989 espreitadelas
  • Outubro 2010
    M T W T F S S
    « Set   Nov »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031

Um ano. Uma pedra. Uma vida?

Ora bolas. “Que raio anda ele a dizer? Passou-se! Deve ser dos ares ingleses”

Amici! Ainda não ensandeci, estou bem de saúde, de corpo e alma.

Num dos primeiros encontros que tive reflectimos sobre uma passagem do Primeiro Livro dos Reis (1 Rs 19,8-9): Elias caminhou durante quarenta dias e quarenta noites até chegar ao Horeb, o monte de Deus. Depois de aí ter dormido Deus fala com Ele. Acham que ele disse coisas simpáticas tipo: “bem-vindo”, “Well done”, etc. ? Pois não é isso que aparece escrito. As primeiras palavras de Deus são: “Que fazes aqui, Elias?”

Ora bolas… Aparentemente Elias tinha sido chamado por Deus e agora Ele perguntava o que Elias estava a fazer ali???

Pois é assim o início da minha caminhada.

Conheço-me como uma pessoa que fez uma caminhada muito própria com vários e bons desvios, boas e más opções. Toda a minha vida me encaminhou para aqui. Quando penso nisto sinto vertigem. As nossas vidas são o resultado de muitas opções, de muitos encontros e desencontros!

Estou a viver num convento carmelita em Aylesford, Kent, Inglaterra. Assumi o compromisso de, durante um ano, discernir o que fazer daqui para a frente. É um ano intenso em que é pretendido que a pessoa descubra se esta vida é, ou não, aquela que mais a realiza, que mais a alegra, que mais a torna cristã.

Na peregrinação a Santiago de Compostela o P.e Nuno e o Tiago Alves, entre outros, faziam questão de colocar uma pedra nos marcos. No meu retiro de início de noviciado, o P.e Damian contou a história de uma senhora que levou, no seu Caminho de Santiago, um saco com pedras e que as ia colocando. Dizia ela que simbolizava as coisas que nós temos de deixar para trás.

Falo de pedras porque também eu tenho uma pedra comigo (estou a falar literalmente). É uma pedra pequena, com arestas, aspecto rude. Para que ela tivesse essa forma, que é apenas sua, milhares e milhares de anos tiveram de passar e sabe-se lá se nessa altura ela não estava em França? Assim é a nossa vida. Vou transportá-la comigo.

Um ano. Uma pedra. Uma vida?

PS1: Na foto envergo o hábito dos Carmelitas.

PS2: Sugiro dois links em que explicam melhor o que se passou há duas semanas atrás (em que recebi o hábito):  http://aylesfordpriory.blogspot.com/2010/10/clothing-of-novices.html

e

http://carmelite.org/index.php?nuc=news&item=313&func=view&id=40

 

3 Respostas

  1. Gosto mesmo muito de te saber feliz =)
    Mais não digo =)
    Abraçao de coração

  2. Como é notória a tua imensa felicidade, mesmo com dias mais negros e com duvidas como provavelmente tens…
    Muitos parabéns pela tua coragem em procurares a tua felicidade e o que te faz sentido… e muita força nesta tua caminhada.

    Anocas
    Beijo enorme

  3. Tiago, paz e bem!

    Procurando a serenidade desta tarde, em Lisboa, onde as núvens escondem o calor e o brilho do sol, aqui vim parar, hoje com mais calma.

    De novo olho para esta tua foto e para o sorriso que é teu e que, para quem te conhece – e penso ser das pessoas que te conhecem bem – denota a alegria imensa de quem sente interiormente caminho a fazer-se.
    sar o Hábito da Ordem é para ti, tenho certeza, meta que te aponta para tantas outras que se lhe surgirão.

    Meu Amigo, estou e caminho contigo na certeza de que, pese a distência física, jamais esqueço a amizade que nos une e o caminhar na Vida Consagrada e no SER MENDICANTE de alma e vocação.
    Diariamente te confia à protecção d’Aquela que é a Mãe nossa.

    Com aquele abraço de muita amizade e presença,
    Albert OFM

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: