• Mail pessoal:

    MSN: tcasaleiro@hotmail.com GERAL: tcasaleiro@gmail.com
  • Janela através das letras… (livro na cabeceira)

    Livros académicos de pouco interesse...
  • Janela dos Livros L’Idos

    Era bom que trocássemos umas ideias sobre o assunto - Mário de Carvalho

    O nome da Rosa - Umberto Eco

    Os filhos da meia noite - Salman Rushdie

    Manhã Submersa - Virgílio Ferreira

    Clara Pinto Correia - Os Mensageiros Secundários

    Jean François-Steiner - Treblinka

    José Saramago - O ano da morte de Ricardo Reis

    Muhammad Yunus - Criar um mundo sem pobreza

    Arundhati Roy - O Deus das pequenas coisas

    George Orwell - 1984

    Primo Levi - Se Isto É um Homem

    Miguel TORGA - Novos Contos da Montanha

  • Quantos já espreitaram através da janela

    • 13,989 espreitadelas
  • Outubro 2009
    M T W T F S S
    « Set   Nov »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031  

Profetas…

Tenho um amigo que hoje colocou no seu nickname do MSN: “morreu um profeta…”

É duro mas nos últimos quinze dias fui a três funerais. Este ratio, de certa forma assustador, tem mantido a morte na minha mente.

Acabo de chegar do funeral de um profeta. Não sou eu que o digo! Nunca me dirigiu uma palavra e dele conheço apenas o que os outros me disseram. Da mesma forma que os profetas tinham discípulos também este homem  deixou o seu espírito nalgumas pessoas que conheço!

Falo de um profeta pois este homem não foi compreendido no seu tempo e amava as Escrituras de tal forma que se tornava insuportável para os outros ouvir a verdade contida nas mesmas.

Não posso escrever sem o conhecer. Ele deixou de dar aulas na Faculdade há uns anos mas o seu espírito esteve sempre presente enquanto génio, crítico e profeta. É por isso que sinto que o conheço há anos!

Penso profundamente: como tratamos os profetas de hoje?

2 Respostas

  1. tenho de caçar o teu amigo na net para lhe dar um olá sonante. A morte é dura para quem vive, mas acredito que é melhor para quem vai.

    Deus faça descansar em paz o profeta!!!

  2. “Homem da arte e da cultura, padre e professor, homem de fé e de virtudes. Sim, inumeráveis virtudes. “Um marginal”, dizia o Pe. António sobre si mesmo. E porquê? Porque não se limitava a navegar num caudal impróprio para a sua fé. Lutava, afastava-se, já vivia “outras músicas”. Era um homem deste mundo que já não estava neste mundo. Via para além do óbvio. E como todo e qualquer profeta, não foi totalmente compreendido. Não cairá no esquecimento, ficará para a história dos homens. E Deus Misericordioso, que perdoa todas as faltas, permanece com o Pe. António na terra à qual voltou. Essa terra de onde é natural. Afinal. “

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: